Tel: +55 (51) 3265-1717

Time de Itajaí vence regata do Volvo Academy

Oportunidade transformadora faz equipe olhar para o futuro

 Texto e fotos Letícia Woestehoff

Após muito empenho e dedicação, tanto dos treinadores quanto dos atletas, o último fim de semana do evento marcou para sempre a vida da equipe. Os pequenos tiveram a oportunidade de vivenciar muitos momentos novos do mundo náutico, na prática.

Lucca Carneiro, de 9 anos, participante mais jovem da equipe vencedora diz que espera continuar treinando e que venham mais competições, para que o time fique cada vez melhor. “É muito legal fazer um esporte que dá pra fazer amigos, é na natureza e dá pra conhecer o mundo”, conclui.  

Antes de irem para a água as crianças passaram a manhã na vila da regata. Na ocasião tiveram uma palestra sobre preservação e meio ambiente, uma conversa com a velejadora Martine Grael e uma “aula” de técnicas de regata com o inglês Chris Atkins, da Associação Internacional de Vela. Também visitaram o interior dos barcos de competição.

Após uma tarde de regatinhas, com 32 crianças que vieram de outras cidades do Estado, quatro crianças de Itajaí foram premiadas com uma medalha e um boné da equipe que representaram, do time Vestas. As medalhas foram entregues pela atleta Martine e pelo presidente da Confederação Brasileira de Vela, Marco Aurélio de Sá Ribeiro. O presidente que assistiu de perto as crianças, sente-se otimista com um evento deste porte no Brasil, ele afirma que a ocasião divulga não só o esporte mas coloca o País e Itajaí no mapa. “Hoje todos que acompanham o evento conhecem a cidade”, conclui.  Marco conta que a vela infantil na Confederação é hoje uma prioridade. “As crianças são a semente, temos que cuidar delas. O que faz da vela um esporte tão especial é que ele semea todos os valores esportivos, de disciplina, educação, dedicação e etc., além disso também planta a ideia de conservação ambiental, respeito a natureza e aos elementos”, expõe.

O prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni, passou pelo evento com o prefeito da cidade de New Port, dos Estados Unidos, e afirmou que dará continuidade as atividades de remo e vela. “Queremos resgatar e avivar essa atividade que é um dos legados que a Volvo Ocean Race deixa. Já estamos conversando com o Clube Náutico Marcílio Dias, Studio Remo indoor e também com a ex-remadora, Fabiana Beltrame, campeã mundial em 2011, que é madrinha do projeto para que as crianças continuem remando e velejando”, afirmou.

 

OPORTUNIDADE ÚNICA

Para completar a experiência, crianças e técnicos da Associação Náutica de Itajaí – ANI, foram convidados um dia anterior pelo veleiro Eco, da Universidade Federal de Santa Catarina, para assistirem embarcados a regata dos “grandões”, a in-port race, que aconteceu sexta, 20. A coordenadora do projeto científico do veleiro, Andréa Freire, acredita que trazer as crianças a bordo para assistirem os maiores velejadores do mundo marca a vida deles. “Eles estão realizando um sonho dentro de um barco que tem uma proposta ambiental muito forte, isso marca as crianças para sempre”, explanou. A treinadora Ana Caroline da Silva, da ANI, agradeceu o convite dizendo que com a oportunidade as crianças crescem como atletas. “Muitas vezes eles treinam muito e não têm um feed back de como acontece uma regata de velejadores de alto rendimento, esta foi uma oportunidade única para eles verem isto de perto”, afirma.