Tel: +55 (51) 3265-1717

 

 

Conforme havia comunicado a vocês, na última terça-feira 04/01/2011, estive em reunião com o Eng° Valdir Flores, Coordenador do PISA, projeto que contempla a tubulação submersa que passará em frente aos clubes Iate Clube Guaíba, Veleiros do Sul, SAVA e Clube dos Jangadeiros. Fui recebido com bastante cordialidade e simpatia pelo Eng. Valdir.  Entreguei a ele o oficio em anexo, com a assinatura dos Comodoros dos clubes náuticos e da Federação de Vela do Estado do Rio Grande do Sul. Durante a reunião ele afirmou que o cronograma está bastante atrasado, mas ao mesmo a data limite para completar o projeto é em outubro de 2012, o que deve ser realizado com tranquilidade.

Apesar de já ter chegado uma boa grande quantidade de tubos, demorará mais algum tempo para iniciar a instalação. Será necessária instalação de flanges nas pontas dos tubos, que é realizada por um equipamento que ainda está no Chile. A instalação começará a partir de um ponto próximo a Piava em direção à Serraria. No primeiro trecho de 2.000 metros, entre a Av. Diário de Notícias e a Piava, será utilizado um tubo com parede mais espessa para suportar a maior pressão, já que neste trecho a tubulação estará a cerca de 10 metros de profundidade. Este tubo ainda não foi construído e será instalado posteriormente. Com isto ele afirma que não haverá interferência na raia da Seletiva Regional da Nations Cup em março, no Veleiros do Sul.

Combinamos que ele ficará responsável por informar a nossa comunidade sobre o andamento da obra, principalmente no que refere a interferência com a navegação de esporte e recreio. Ele enviará comunicados via e-mail ao departamento de Comunicações do Veleiros do Sul que retransmitirá imediatamente para os demais clubes náuticos, bem como sites e grupos de conversas referentes ao Guaíba.

Ele informou que já foi realizado o levantamento batimétrico no trajeto da tubulação, e áreas adjacentes, com o objetivo de acompanhar qualquer alteração na batimetria do Guaíba. O objetivo é que ao final da obra não exista alteração na batimetria do Guaíba em relação ao levantamento inicial.

 Vamos continuar acompanhando de perto o andamento do projeto, contamos com a colaboração de todos.

 

Eduardo Secco Hofmeister

Dir. Comunicação e Marketing do Veleiros do Sul

 

 

Respostas do DMAE ao questionário encaminhado pelo Veleiros do Sul

 

  1. Impacto na Navegação de Esporte e recreio do Lago: Não estão previstos impactos, visto que a tubulação será enterrada ao fundo do lago, com recobrimento mínimo de 0,50 m; exceto nas profundidades maiores que 8,0 m, trecho inicial de 2km a partir da foz do Cavalhada, no qual será assentada sobre o fundo.

 

  1. Impacto na Navegação Comercial: Todo o traçado está fora da área do canal de navegação, portanto sem impactos diretos. Sabemos, por informações recebidas, que há risco de embarcações de grande porte virem a se deslocar fora da área do canal, podendo ocorrer acidentes com lançamento de âncoras, casos que nos foram documentados e relatados em data recente. Fizemos consultas a SK Tecnologia Subaquática Ltda – SP/Brasil, que dá suporte ao Consórcio executor da obra e à TEHMCO Indústria de Tubos Plásticos localizada em Santiago do Chile com larga experiência em lançamentos subaquáticos. Ambas empresas consultadas nos relataram uma difícil solução que evite 100% acidentes com a tubulação no caso de impactos com grandes embarcações. Nos foi recomendado dispor de peças de reparo em depósito que possam reparar o dano em curto espaço de tempo.

 

  1. Prevenção de danos à sinalização náutica existente: Repassei a Supervisão da obra e ao Consórcio contratado, para providencias.

 

  1. Informações sobre sinalização a ser utilizada: Conforme despacho da Marinha do Brasil, a obra foi liberada em 16.08.2010 e prazo de validade em 16.08.2014, condicionada a informar as etapas de execução, inicio e fim de obra para Aviso aos Navegantes, alem de atender de atender requisitos de sinalização conforme art. 0313 da NORMA M-17. Portanto, serão utilizados sinalização padrão para este tipo, conforme norma da Marinha.

 

  1. Informações sobre estudo e análise de risco: Como toda a montagem será feita na margem e em canteiro de obras, resta a dragagem e lançamento no corpo do lago, para os quais foram considerados riscos de pequeno impacto.

 

  1. Informações sobre áreas de mineração: O Dmae tem conhecimento de pedido de licença para mineração em área do emissário, tendo encaminhado à Fepam solicitação de não liberação destas áreas para tal fim.

 

                                               Engº Valdir Flores – Coordenador Uced/Pisa

Com informações da Assessoria e Imprensa do DMAE

Na segunda-feira, 27, entre 13h e 17h, uma grande operação será realizada dentro do Lago Guaíba para receber quatro gigantescos tubos de 515 metros cada, com 1,60 de diâmetro, e que estão sendo trazidos rebocados pela água desde São Paulo.

O prefeito da Capital José Fortunati receberá de barco os rebocadores e os acompanhará até o canteiro de obras no Pontal do Estaleiro Só onde serão depositados às margens do lago.

Ali serão depositados para que, nos próximos dias, após a montagem dos blocos de ancoragem e dos flanges, seja feita a dragagem no leito do Lago e a instalação dos tramos dentro do Guaíba. Com o acompanhamento de mergulhadores, o tubo será assentado na vala e depois realizado o reaterro com o próprio material dragado. As tubulações serão utilizadas na obra do emissário subaquático do Projeto Integrado Socioambiental (Pisa).

Na manhã de hoje (23) as tubulações para o emissário subaquático do Projeto Integrado Socioambiental (Pisa) chegaram a Rio Grande. Os tramos partirão de São José do Norte no domingo em direção a Porto Alegre. Serão aportados oito tramos de 515 metros cada. A previsão de chegada à Capital é a tarde de segunda-feira, 27.

As tubulações foram transportadas de São Paulo até o Porto de Rio Grande e, a partir daí, virão pela Lagoa dos Patos até a orla do Guaíba. Com um investimento de mais de R$ 84,5 milhões, o emissário será responsável pelo transporte dos esgotos, por dentro do Lago Guaíba, desde a Estação de Bombeamento do Cristal (Mirante) até a Estação Serraria, onde serão tratados.