Tel: +55 (51) 3265-1717

Ilha Chico Manoel

Ilha Francisco Manoel

A sub-sede do Veleiros do Sul na ilha Francisco Manoel é muito freqüentada pelos associados e convidados. Ela possui um trapiche de madeira entre dois molhes, uma sede em alvenaria, constituída por um amplo salão de 10m x 4m, uma varanda de 10m x 2m com vista sobre o ancoradouro e banheiros com chuveiros, casa do zelador, churrasqueiras e uma picada de acesso à praia localizada no lado sul, dotada de sinalização e corrimão para auxiliar a passagem nos trechos íngremes.

Aspectos geográficos

A Chico Manoel situa-se no Guaíba, a meio caminho entre as praias de Belém Novo e do Lami, a cerca de 32 km da sede do Veleiros do Sul. A sua extremidade mais fina aponta para o Canal do Guaíba e a mais arredondada e bojuda para a Ponta dos Coatis, da qual fica a 250 metros . A área é de 214.916 m² , e a circunferência, pela picada da base do morro é de 1.930 metros . A altura culminante (na estaca 15) é de 43 metros . A extensão maior da ilha é de leste a oeste, com 754 metros e a largura menor, de norte a sul, 436 metros.

História

A ilha Francisco Manoel, ou "Chico Manoel", como os freqüentadores a chamam, sempre foi um ponto de atração dos velejadores em seus passeios e excursões pelo Guaíba. Oferece abrigo natural a todos os ventos e o seu uso indiscriminado estava causando a sua gradativa depredação.

O Comodoro Mário Bento Hofmeister ouviu do ex-Comodoro Jorge G. Bertschinger que a ilha Francisco Manoel estava abandonada e seria oportuno tentar conquistá-la para o Veleiros. Em entrevista com o governador Ildo Meneghetti, ele mostrou franca receptividade. Assim, em 30/06/1966, o governador do Estado, o secretário da fazenda Ary Burger e o secretário dos transportes Tertuliano Borfill assinaram o Decreto nº. 17946 de concessão da Ilha Francisco Manoel por 99 anos ao Veleiros do Sul.

Muito bonita e pitoresca, a ilha tem, em seu contorno, pedras ou matacões de granito de tamanhos variados. Possui cerca de 60 metros de praia de areia grossa, além de Capões de mato baixo. A sua mata é composta de catiquá, camboriú, amarílis, cocão, batinga, laranjeira-do-mato, canela preta e amarela, figueira de folha miúda, ipê, guajuvira e outras madeiras brancas nativas. Também foram plantadas árvores frutíferas, tais como limoeiros, laranjeiras, ameixeiras e abacateiros, além de várias timbaúvas e acácias. Na cota de 6 metros , alternâncias de capões e campo. O seu ponto mais alto é denominado "Alto Alegre", onde se situa o marco geodésico de triangulação do morro da Ilha.