Histórias a bordo: tradição de pai para filho

A troca de experiências é sempre muito importante, principalmente quando falamos de aventuras náuticas. Pensando nisso, lançamos uma nova série no site do VDS, que conta os relatos de navegadores em suas viagens.

Começamos com a história de Maurício Vazquez, que junto com os amigos Maurício Miotto e Augusto Altreiter - skipper profissional e professor da Escola de Vela Minuano - percorreram horas de viagem, inicialmente até Rio Grande e, em seguida, para Florianópolis, a bordo do veleiro spring 25 Walhalla, do falecido associado do Veleiros do Sul, Nelson Vazquez, pai de Maurício, o idealizador da viagem.

Motivado pela conexão do pai com o barco, Maurício planejou a recente travessia no Walhalla como forma de homenagem a Nelson, mantendo o legado da vela e a tradição da família Vazquez ainda presentes em sua embarcação. Afinal, foi neste pequeno veleiro oceânico que seu pai percorreu um longo percurso quando o adquiriu, trazendo-o de Montevideo a Porto Alegre. “A jornada foi longa e repleta de desafios, mas no fim, após muito esforço, lá estava meu pai com seu barco no Veleiros do Sul e um sorriso no rosto que nunca irei esquecer”, relembra Maurício. 

 

 

 A travessia

De Porto Alegre para Rio Grande e de Rio Grande para Florianópolis, onde Maurício mora atualmente - em um spring 25. O desafio foi lançado e aceito pelos parceiros, mesmo que a aventura implicasse em riscos e exposições como as já vividas por Nelson. “Trata-se de um barco não aconselhável para tal travessia, mas como eu poderia trazê-lo de outra maneira que não navegando até aqui? Meu pai ficaria orgulhoso”, conta Maurício. Sendo assim, partiram rumo ao objetivo: 500 milhas náuticas a frente.

A viagem para Rio Grande começou terça-feira, 23 de junho de 2020, às 13h, e terminou na quarta, 24, às 17h. Pela forte frente fria de quinta-feira, 25, os tripulantes decidiram esperar que ela diminuísse para seguir viagem até Florianópolis, conforme relato do skipper Augusto. Na sexta-feira, 26, partiram rumo à Santa Catarina, totalizando mais de 50 horas de viagem desde a partida, em Porto Alegre, ao destino final, na baía de São José, em Florianópolis.

Hoje, ficam as boas lembranças de uma travessia que transformou a tradição náutica da família Vazquez em uma divertida aventura entre amigos. “Agora, cheio de esperança, posso seguir sonhando, pois sei que a paixão do meu pai seguirá viva e presente em minha família. O legado existe!”, finaliza Maurício. 

 

 

E você, tem uma boa história para compartilhar? Mande o seu relato com uma foto para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e divida a sua viagem náutica com os leitores do site do VDS!