Expedição Rumo ao Sul III - Resultados científicos das águas

Por Gustavo Santos e Andréia Della Casa

Após 14 dias velejando desde o VDS até o clube de Jaguarão na fronteira com o Uruguai, buscamos agora difundir ao máximo os resultados com a finalidade de protegermos e chamarmos a atenção da gravidade atual em que encontram-se nossas águas.

É triste ver que a cada ano nossas águas estão mais poluídas (conforme podemos analisar no quadro acima).

Após os estudos feitos pelo nosso parceiro científico, o IPH-UFRGS, verificamos que os principais motivos pela contaminação das águas são os esgotos domésticos e industriais que continuam sendo lançados diretamente nos corpos hídricos sem nenhum tratamento ou com tratamentos insuficientes. Também encontramos resíduos de defensivos agrícolas e agrotóxicos utilizados em lavouras. Em pleno século XXI, onde o mundo fala em cuidados com o Meio Ambiente, temos fossas domésticas não tratadas pelas cidades, empresas descartando produtos químicos irregularmente nas águas, e, por incrível que pareça, também encontramos resíduos hospitalares nos corpos hídricos. Um exemplo é no arroio dilúvio em Porto Alegre. Além dos resíduos sólidos que se espalham pelas encostas, tipo restos de plásticos, sofás velhos, restos de computadores, etc.

Enquanto não houver uma real conscientização da população, de empresários, de agricultores e principalmente dos governantes em buscarem alternativas sustentáveis e a não conivência com crimes ambientais, as coisas só piorarão. Em breve não teremos mais águas balneáveis na maior parte dos rios e das lagoas.

Essa é a triste realidade atual. É isso que queremos deixar aos nossos filhos? 


Imprimir   Email