Saiba como ajustar corretamente o mastro para a vela mestra

As regulagens de mastro e vela de um barco exigem ajustes essenciais que devem ser feitos antes e durante a navegação. Você sabe quais são eles? E aliás, você os realiza corretamente?

Alexandre Rimoli, sócio do Veleiros do Sul e diretor da empresa Mastros Manotaço, explica o passo a passo para saber se o mastro do seu barco está configurado corretamente para a vela mestra. Confira as dicas do especialista:

Regulagem do Mastro

Passo 1

De acordo com Alexandre, os ajustes do mastro do barco devem iniciar com a revisão do material que compõe o estaiamento (cabos de aço, terminais e esticadores).

Passo 2

Após a análise visual, deve-se verificar se o mastro está centralizado lateralmente, o que pode ser feito com a ajuda de uma trena comprida ou, até mesmo, de uma adriça que, de preferência, saia no centro do mastro. “Lembrando que aqui nos referimos a barcos monocasco, os quais a regulagem começa de cima para baixo lateralmente”, afirma.

Variações de Mastreação

Cruzetas

Retas: aumentam a rigidez do mastro no sentido transversal.

Anguladas: aumentam a rigidez do mastro também no sentido longitudinal.

Estaiamento

Ao top: estai de proa chega ao top.

“No caimento proa – popa aconselho o uso da regra básica de 2cm a 3cm por metro de P (medida da testa da vela grande ou vela mestra)”, indica Alexandre. Após, deve-se caçar os estais de forma que alcancem a tensão uniforme com uma pequena curva no meio do mastro para a proa (flecha).

Fracionado: estai de proa não chega ao top.

“Caimento proa – popa é um pouco mais radical. Recomendo a regra básica de 4cm por metro de P”, afirma. Alexandre também destaca que neste tipo de mastro, é importante que a tensão estaiamento seja feita gradualmente. “Nunca dar tensão total em um par de estais para depois dar tensão em outro par”, ressalta.

"Importante saber que este seria um ponto de partida para barcos de Cruzeiro estarem muito perto de um ótimo barco de regata, ainda precisando de ajustes finos que dependem do tipo de vela, forte da vela e intensidade de vento”, completa Alexandre.

Curvatura da Vela

Para avaliar se a curvatura da vela é ideal para o mastro, Alexandre destaca os seguintes pontos a serem considerados: rugas na vela mestra, desempenho do barco (speed e ângulo de orça) e tendência (orçar ou arribar) do leme em velejada regular. “É possível ajustar o mastro alternando a forma da curva através do ajuste do estaiamento. Tal regulagem deve ser feita, provavelmente, velejando”, destaca.

De acordo com o diretor da Mastros Monotaço, a boa regulagem do mastro contribui também para evitar rugas horizontais na vela, que podem ser causadas pelo corte errado da vela e por estais diagonais do mastro muito soltos, com pouca pressão.

Gostou das dicas? Aproveite para verificar se a configuração do seu barco está correta. 


Imprimir   Email